Você sabe como vender software corporativo? No cenário atual, ainda que o investimento em tecnologia seja constante, muitas organizações têm dificuldades para apresentar ao usuário as vantagens da sua aplicação.

Isso pode ser ocasionado por uma rotina de vendas mal estruturada, falta de conhecimento sobre o público alvo do sistema ou mesmo modelos de licenciamento pouco flexíveis.

Se você quer contornar essas demandas, veja no nosso post quatro dicas essenciais de como vender software que preparamos para você!

1. Oferecer benefícios além das funcionalidades do software

Um bom software vai além das suas funcionalidades. Ele cria uma experiência de uso que traz mais qualidade para o dia a dia do usuário, reduzindo problemas, agilizando rotinas e dando mais versatilidade.

Por isso, saber demonstrar os benefícios do seu sistema indo além das suas funcionalidades é a nossa primeira dica de como vender um software corporativo. O time de vendedores deve estar preparado para apresentar a solução como uma forma de trazer mais competitividade e qualidade para os serviços da empresa, além de ser um meio para diminuir gastos e ganhar qualidade. Assim, o sistema será visto como algo além de uma simples solução de trabalho.

2. Entender a dor dos clientes

Sempre que um profissional conhece técnicas de como vender software, essa é uma das primeiras a serem listadas. A compreensão das dores dos clientes auxilia o vendedores a estabelecer uma relação com um consumidor, dá mais informações para a definição de uma estratégia de comunicação eficaz e, em última instância, torna o sistema mais fácil de ser ofertado.

Portanto, faça sempre uma pesquisa sobre como o usuário pretende utilizar a sua ferramenta, as suas demandas e maiores problemas. Crie um roteiro de comunicação estruturado nesses fatores, identificando e demonstrando ao usuário como a aplicação poderá auxiliar ele no seu dia a dia. Dessa forma, será muito mais fácil fechar negócio.

3. Ter um período de testes

O investimento em um novo sistema muitas vezes é feito com um grande cuidado. A empresa deve avaliar vários fatores antes de identificar se a aplicação realmente atende as suas necessidades e, assim, evitar riscos.

Um dos meios de garantir que a venda de uma ferramenta seja fechada com mais segurança, nesse sentido, é a oferta de um período de testes. Crie uma versão beta do sistema que possa ser utilizada por um pequeno prazo (ou que tenha funcionalidades limitadas) para que o usuário possa avaliar se os recursos atendem às demandas. Assim, as chances de uma pessoa compreender os benefícios da solução.

4. Faça um licenciamento flexível

Nos últimos anos, a oferta de aplicações ganhou força com um novo modelo de licenciamento. Chamado de SaaS (sigla para Software as a Service, ou Software Como Serviço, em uma tradução livre), essa forma de fornecer aplicações dá mais flexibilidade para os usuário, garante um fluxo de receitas contínuo para o negócio e é mais competitiva.

No licenciamento como serviço, o cliente paga uma mensalidade com um valor que varia conforme o número de contas ativas ou mesmo o número de recursos contratados. Os planos podem ser encerrados a qualquer momento e contam com a vantagem de serem mais flexíveis e práticos. Assim, a atração de novos usuários fica mais prática, uma vez que os vendedores conseguirão fornecer um produto que se alinhada às necessidades de vários perfis.

Saber como vender software é algo fundamental para empresas de desenvolvimento. Conhecer as demandas real do seu público alvo, criar um cenário atraente e ter uma estratégia para cooptar pessoas mais funcional auxilia o empreendimento a ter sempre uma boa lucratividade. Assim, recursos serão obtidos facilmente para a criação de novas funcionalidades e a contínua divulgação da solução criada pela companhia.

Gostou dessas técnicas? Compartilhe o post nas suas redes sociais para que seus colegas também possam conhecer as melhores formas de vender um sistema!